quarta-feira, 24 de setembro de 2014

CREPÚSCULO
Também os deuses dormem.
E são então montanhas de penumbra
Sem resplendor.
Lassas, as fragas, os divinos ossos,
Baços os horizontes, os sentidos,
- Todo o corpo parece
Uma grande fogueira que arrefece
Por dentro do volume dos vestidos

M. Torga - "Diário IV"




terça-feira, 23 de setembro de 2014

"No mar passa de onda em onda repetido
O meu nome fantástico e secreto
Que só os anjos do vento reconhecem
Quando os encontro e perco de repente."

Sophia - No Tempo Dividido





terça-feira, 2 de setembro de 2014