quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Retrospectiva anual de um sentir profundo.

Mais um ano, mais uma sucessão de dias e escolhas. Outra vez o balanço que se faz quase sem querer, ou não estivesse na nossa natureza a certeza dos ciclos que tudo renovam.

A vontade de recomeçar.

Encontros e despedidas, sal e doce. O coração a bater ao ritmo da chuva, o Amor a despontar como uma flor em Abril, o desejo a queimar como fogo, as lágrimas a correr como a água do rio.

As horas em que a imaginação voa ao contemplar esta maravilha que é a vida sob todas as formas.

As vozes dos que amamos como música de fundo, a dar-nos alento quando tudo se torna tão duro que parece impossível continuar.

O olhar dos amigos cúmplices que sentem o mesmo que nós e não é preciso dizer nada, a sorte de partilhar a existência com eles, aqui e agora.

Quantos sabores e risos! Quantas conversas sob as estrelas enquanto as nuvens correm empurradas pelo vento.

Os segredos da Lua, os abraços como um Mar, as promessas do Sol.

Que tudo isto renasça todos os dias. Todos os anos das nossas vidas.



Sem comentários:

Enviar um comentário